Visitas

Eis que vens a mim em sonho
Sem ter sido convidada
Nem tão pouco apresentada
Total e perfeita estranha
Como há muito conhecida
Cumprimentou-me e parecia
Colocar o assunto em dia
Com sorrisos tagarelas
À vontade num singelo
Vestido de tom amarelo

Na manhã do mesmo dia
Não estivesse acostumado
A ser em sonhos visitado
Muito me espantaria
Vê-la verdadeiramente
Só faltou o amarelo
E a intimidade sorridente

Que existas cá e lá,
Que sei eu de existências?
Mas como pode lá um beijo
E cá tão grande indiferença?

É preciso abandonar
Toda a dura realidade?
Ou devo cá eu procurar
Por vestidos amarelos?

Nenhum comentário:

Postar um comentário