Visitas

... e, morto de desejo,
enterrar-me-ei no quintal da tua vida
e, se da terra úmida e de meu podre coração
puder renascer numa flor qualquer,
quem sabe não me venhas a colher?

Nenhum comentário:

Postar um comentário