Visitas

Se vieres
Uma vez mais
Abraçar-me em alta noite
Deixar teus beijos e sorrisos
E te meteres entre outras musas
— Posto que és ciumenta e me queres só a ti —
Rogo-te que recues; procura, tu, a lua
Ou as estrelas — devem dar por tua falta —
Assombra as escuras ruas
E seus pobres transeuntes
Que buscam morenas
E loiras de branco

Se quiseres contudo vir
Se in felicitate me desejas tanto assim,
Vem, tu, à luz do dia,
Toca a campainha,
Bate à porta,
Ô de casa!

Entra, a alma é tua!
Pois também é preciso o corpo,
E também se deseja a carne,
Porque sonhos não matam a fome,
Deste arado sonhador.

Nenhum comentário:

Postar um comentário