Visitas

Acordou, se banhou, se vestiu
Deglutiu, se apressou, se sentou
Almoçou, trabalhou e saiu
Ninguém o notou nem o viu
O espelho sequer reparou
Eram só roupas que flutuavam
E voavam vazias

Amores invisíveis

Nenhum comentário:

Postar um comentário