Visitas

Letárgicos movimentos
Afogados em sofrimentos
Cansaço da alma solitária
Esforços de viver em vão

Ampara-me a morte de ombros fortes
Ossos largos sorriso aberto
Abraço gélido melhor que o teu
Que nunca foi e sempre quis

O frio beijo da arcada alva e amarelada
Tem mais paixão que o meu desejo
O vazio dos olhos é mais brilhante
Que teus cegos a mim desdéns

Trapos negros com cheiro de tumba
Mais agradáveis que teus fétidos perfumes
O toque sincero dos ossos
Repúdio de sonhados amores nossos

Não te enganes nem te dês a sorrisos
Não vou-me exilar n'outro mundo por ti
Deixo-te à desgraça de seres quem és
Refugio-me de tudo o que é mal

E perverso - vida

Nenhum comentário:

Postar um comentário