Visitas

Em transe sobre a pena
Sono profundo pesada insônia
Escrevo pernas onde quero abraços
Caligrafia de seios - seduzem-me garranchos
Sorrisos por entre vírgulas
Beijos que tocam dentes
Mordem lábios
Molham sonhos em vigília

Erro o soneto - a rima é branca
Versos livres por entre dedos
É papel ou corpo em que me deito?
Amo e durmo a noite das incertezas
Persigo teu cheiro - os sonhos não têm som
Todos as letras não te descrevem

Em que estrofe te encontro?
Em que estribilho te desnudo?
Esqueço-me do refrão
Em que dizes fugir de mim

O olhar nada mais distingue
Entrego-me ao cochilo
É teu o colo em que me extingo?

Imagens desconstruídas
Desejo-te aos pedaços

A dor meço

Nenhum comentário:

Postar um comentário