Visitas

Se a morte vier
E eu nada fizer
Deixa-me ir
Quis muito partir

Mas se a vida insistir
E eu chegar a sorrir
Foi por te ver
Não por te ter

Então deixa assim
Imagino-a pra mim
A chave desnuda da vida
A porta entreaberta da morte

Nenhum comentário:

Postar um comentário