Visitas

Fazer da lembrança rota
A corda que ata os amores mortos
Eis aí a tua ruína
E o peso dos putrefatos

Nenhum comentário:

Postar um comentário