Visitas

Se te enxergo anjo
E me quero nas plumas de tuas asas
É porque não sei - e nem poderia -
Que anjo és caído

A luz que emanas por sob a auréola
Sou eu quem a acende
Com o fogo que arde em meu olhar
Brilho alvo da ilusão de amar

O som da harpa que escuto
São os risos teus que não ouço
Ensurdecido pelas poesias - minhas -
Que ponho-as em tuas mentiras

E se mais pudesse angelical querer-te
Mais no poço do Inferno eu estaria
Porque dei-te a permissão
De enganar-me em meu próprio Céu

Nenhum comentário:

Postar um comentário