Visitas

Cada rima me perfura
E cura
O corpo violado
Caixa torácico-acústica
Em que ritma o coração
Encordoado
Sete cordas de arame farpado
Todas as mentiras
De cor
Que poetizas

Violência silenciosa
Da leitura que me tosa
Destes versos-faca-gume
Por que sangro e te marco
As páginas de rubro

Dois corpos à cama-carne
Jazigo perpétuo e duplo
E do crime a arma
De poemas
Um livro

Nenhum comentário:

Postar um comentário