Visitas

No fim - que nunca chega
Fica claro, declarado
Que o camaleão é invisível
Por essência e natureza

Quem arrisca com certeza
Afirmar a cor e o tom
Que realmente cobre a pele
Do mentiroso camaleão?

Se me insiro em todo quadro
E quando quero, me contrasto
Perco o referencial
Do que sou, do que é verdade

Eu furtivo, hesitante
Realidades delirantes
Sou ou estou nos sonhos
De quem acha que sou real?

Diletante camaleão
Brincando de existir
Há muito eu já desisti
De ter uma só paixão

Nenhum comentário:

Postar um comentário