Visitas

Quando inverno,
Encontro ao solo a cor tua alva
Mas não encontro o corpo
Que quente derreteria
A neve que quas' me cobre

Se privamero
São tantas as cores e as flores
Que confesso me perco
Entre cheiros que não são teus
Ainda que estivesses ali ao lado

E eis que outono
Mas já não tenho
O viço que te cobriria
De verde
Sou pálido poeta âmbar

É no verão que te faço sombra
Sob a qual desnudas o colo
Folheias o livro
Que conta as histórias
Em que não estamos

Nenhum comentário:

Postar um comentário