Visitas

Quando imagino
Alucino toda sorte de visões
De terrores, deformidades
Sinto medo nos corredores
De rostos inexistentes
Ouço vozes, receio
Abrir os olhos
Meu instinto é o de arrancá-los
E amar a loucura

Meu ansiolítico era o teu beijo

Nenhum comentário:

Postar um comentário