Visitas

Turvo as curvas
Curvas turvas, soturnas
Sombrios lampejos
Podem ser os teus olhos
A romper os meus
E se forem mamilos
A romper os seios?

É o vinho derramado ao peito
Teu corpo atirado ao leito
Ou a lingerie tua
Sobre a qual me deito?

Ou teu corpo sobre o qual me deito
O vinho derramado ao leito
A lingerie atirada assim, desse jeito?

Ou é o corpo que bebo
Derramado de vinho
E tingido de lingerie
Sutiã meia-taça?

Quartos de motel
Noites de bordel
Até na rima
Nosso amor é sujo



Nenhum comentário:

Postar um comentário