Visitas

anseio a taça
o vinho é tinto
e à meia-taça, o seio
branco, rosé

a sede roça a garganta
seca
a seda cobre — é manta
e peca

teu rosto atrás de mechas
o corpo vislumbro em brechas
incompleta a plenitude
do desejo - a inquietude

dissimulas sorrir
arriscas despir
me fazes pedir
parar de tentar-me
ao intento supremo
de beber-te o copo
E o corpo
inteiro

Nenhum comentário:

Postar um comentário