Visitas

Diga
Por que escolheste ser a inimiga
Se a cama sempre foi a nossa amiga
Ainda que teu corpo contradiga

Siga
Com a tua decisão e desabriga
Meu peito à agonia mais antiga
A solidão que o coração mastiga

Briga
Me mata, me maltrata, me maldiga
Mas peço por favor não me castiga
Com essa indiferença que me intriga

Desdiga
Que um novo amor amar a ti obriga
Não deixa-me refém desta fadiga
De ver minh’alma suplicar mendiga

Nenhum comentário:

Postar um comentário