Visitas

Quem sou insone?
Em quantas camas não adormeci
Esperando de sonhos que não tive
Um amante que me dome
E que domado pela fúria
Daquela que nunca dorme
Adormecesse ao meu lado
Cansado de luxúria

Quantas sou sem sono?
Tantos desejos ressono
Obscenidades ronrono...
Sou gata vira-lata
Que arranha o travesseiro
E o nome do parceiro
Com a voz entrecortada
Com medo do pesadelo
De perdê-lo
Num sonho qualquer
Que tenha acordada
Num sono qualquer
Em que me sonhe
Desnudada

Quantas sou à cama?
Com quantas de mim me deito?
Vejo-me a meu lado
Por baixo e por sobre mim
Delicioso e solitário festim
E nem assim
O cansaço me pacifica

Desperta reparo a chama
Da vela ao criado-mudo
Dançando em silêncio e penso:
Meu corpo de cera inflama
Derrete, resfria e seca...

Será que morri de amor?
Ou foi só a vela que sou
Aquela que se apagou?

Nenhum comentário:

Postar um comentário