Visitas

Ah, marinheiro...
Dessas que dizes ter mil
Cada uma dessas mil
Mil e uma têm de ti

Se se espera o barco
Não se espera o corpo
Abrem-se as velas
E as pernas
Imensidão pra nunca mais...

Chegas do sal e me reclamas
Como fazes em outras camas
Mas desta sou a fronha
O cobertor e o travesseiro
Deito-me porque quero
Dou-te-me porque espero
Que te aposses do timão
E me leves, embarcação
Para o porto
Atracação

Ah marinheiro, pobre marinheiro...
Se soubesses como te espero
Tanto quanto me anseias...
Mas somos de tantos
Tripulação

Se depois de sete mares
Esta puta desejares
Depois de sete amares
Somente tu a te deitares!



Nenhum comentário:

Postar um comentário