Visitas

Notei-te, janota
E anoite: conotar-te
Em um verso ou dois

À noite, deitei-me contigo
— denoitei-te —
E denotei-te, apenas

Pela manhã, ao sair,
Deixei-te uma nota
Um poemeto que te conota

Morre toda poesia
Nas mãos de qualquer teoria
E assim seguimos vivos!
É prática nossa vilania

Não sei se fiquei sem sentido
Denotado
Ou se minha nota e nossa noite
Nosso coito e nossa cota
Me fizeram conotado

O teu sorriso no fim desta poesia...
Ah, notaste!


Nenhum comentário:

Postar um comentário