Visitas

Meu nome é pesadelo
Sou tudo aquilo que desejas
Da anca que queres morder
Aos seios que queres beijar

Vê bem nos meus olhos
O sol que não brilha à noite
Também eu venho do nada
E do escuro que não esperas

O medo que te possui
Também é o que te dá prazer
Acima de ti sobrevoo
Queres mas não me podes ter

Todos os sonhos e musas
Se perdem em meus cabelos
Sou a única que teu corpo
Precisa para gozar

Mas não vais
Porque meu nome é pesadelo
E nunca mais tu vais acordar
Enquanto quiseres me dominar

Durmo dentro de ti
Não descansarás dentro de mim
Jamais
A paz

Imagem: "Bat-Woman" (1890), Albert-Joseph Pénot


2 comentários:

  1. Muito linda, como lindas muitas outras que escreveu com a criativa e intensa justaposição das imagens que selecionou. Ou seriam as imagens as mães da poesia?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi José, obrigado pela visita e pelo comentário! Pois é, geralmente eu primeiro escrevo a poesia e depois procuro alguma imagem que possa complementá-la. Algumas vezes a imagem me inspira. Nesse caso, confesso, não lembro como foi.

      Excluir