Visitas

Pensa em mim como um inseto
Que julgas feio, abjeto
Que te provoca enjoo e medo
E de uma vez me extermina

Termina logo com o segredo
Que não passei de um brinquedo
Com que não mais tu te divertes
Já te cativam outros flertes

Mas te assegures da porrada
Que de mim não sobre nada
Pode matar o sobressalto
Imaginar a barata morta
E encontrá-la ali no alto
Escondida atrás da porta

Nenhum comentário:

Postar um comentário