Visitas

Eu já me esquecia das sardinhas
Que certa vez chamei de minhas
Quando o outono me lembrou
Que logo o frio da saudade
De inverno chegaria

Uma folha que caíra
De cor vermelho-alaranjada
Da árvore que a abandonou
Disse-me: quantas mais hão de cair
Antes do rosto dela lhe fugir?

Olhei para cima e notei
A copa da árvore e lembrei
Do teu rosto de mil sardinhas
Que um dia chamei de minhas

Que se foram como iriam
Com o inverno as folhinhas
Que para sempre — condenado
Te desenhariam


Nenhum comentário:

Postar um comentário