Visitas

Então tudo era música:
As promessas e os sonhos...
A mesma fantasia
Coube em nós dois

E decidimos acreditar
Que seria possível
Ainda sonhar
Ao menos sonhar...

Foi quando mãos se tocaram
E olhares os lábios calaram
E o beijo que o silêncio pediu
Deveria acordar-nos do sono

Para dormirmos a realidade
Um ao lado
Do travesseiro e do colo
Do outro

Mas o beijo não veio
Ficou preso contigo
Na mesma gaiola
Que eu, ao sonhar-te, não vi
E que não me disseste
Em torno de ti existir

Assim como o canto
O sonho e até o pranto
Deixa meus braços
Pelos espaços da grade
Te prenderem de liberdade

E quem sabe esse beijo
Se não for a tua porta
Revista de ouro
A tua gaiola...


Nenhum comentário:

Postar um comentário