Visitas

Entendo afogar-se no álcool
Destilado de toda esperança
Avalanche de pedras
Degelo, desespero

Entendo a translúcida fumaça
A visão enevoada
A voz rouca
Queimar até o filtro da razão

Entendo jogar-se entre pernas
E lábios quaisquer
Homem ou mulher
A diferença é não haver gozo

Entendo até a literatura
Que vomita e consome amargura
Histórias que não são suas
Vida ociosa, odiosa

O que não entendo
É a realidade
Que não me abandona
Nem na hora da morte

2 comentários:

  1. Realidade soberana. Realidade dominadora da vida e da morte. Realidade sacana.

    ResponderExcluir