Visitas

Pela manhã sou penumbra difusa
Ao meio-dia sou sombra só
À noite sou-a em sua plenitude
     De escuridão

Nem sombra de luz
Para o amor cego
Que se perdeu de nós
     Na escuridão

Nenhuma sobra
Resto algum
Nenhuma réstia
     Só a escuridão

Exceto a sombra
Que doravante
Há de proteger-me
Da luz dos olhares
Negros como a noite
Em que me tornei
     Com a escuridão

Nenhum comentário:

Postar um comentário