Visitas

Achei em casa essa caixa
Com um nome escrito
- Pareceu-me até bonito -
Que li mas não reconheci:
Infância

Apesar de familiar
Não conseguia me lembrar
De tê-la comigo algum dia
Escondida
- Ou esquecida? -

Abria-a com algum receio
Mas também com todo o anseio
De quem desconfia
Saber que não saber é enganar-se
E enganar-se é melhor do que saber

E vi que dentro estava
De vazio abarrotada
A não ser por um bilhete
Uma notinha dobrada
Que assim aconselhava:

- Procure na caixa de sonhos...

Nenhum comentário:

Postar um comentário