Visitas

Amar o fantasma
De quem já morto
Em vida
É assustar-se
Mais do que assustar
Sendo fantasma
De quem já morto
Em vida

Amar a sombra
De quem jamais foi luz
É tornar-se sombrio
À qualquer luz
Que me projete deformado
A toda superfície
De superficiais amores

O abraço frio do espírito
Não é mais frio que o beijo
Que dou em quem queira
Arriscar-se também
A assombrar-se
Com a sombra
De quem já morto
Em vida

Espreito
Em cada leito
Teu rosto etéreo
Digo "te amo"
Dizes "vade retro"
Minha oração
Meus votos
De amor

Ex-comunhão

Nenhum comentário:

Postar um comentário