Visitas

Permaneço imóvel, deitado
Adormecido do gramado
Corpo e alma orvalhados
Olhos no céu
Coração na terra
Nas veias o sal do mar

E observo as nuvens
Nenhuma tem teu nome
Tampouco tuas formas
Não te conheceram as nuvens negras

Mas uma cai em minha direção
Carregada de chuva
E saudade
E pesa sobre mim
Toda sua leveza
Chovendo o gozo
Que as tempestades
Levaram de ti

Permaneço imóvel, deitado
Abandonado no gramado
Corpo e alma molhados
Olhos cerrados
Coração em silêncio
Nas veias a chuva
Que cai ao longe
No mar

Nenhum comentário:

Postar um comentário