Visitas

Minhas esperanças de amor e morte
Desesperanças de amar-te à sorte
Todas morrem ao fim do dia
Queimam no sol poente
São as cinzas que tornam escuro
O céu noturno

E renascem pela manhã
Esperanças-girassol
Apenas para morrerem de novo
E tingirem de fuligem
Seu próprio leito de morte

Minhas lágrimas de Fênix
Não são de fogo
São de água
São de mágoa
Eterna

Nenhum comentário:

Postar um comentário