Visitas

Uma chama de vela
Talvez do Sol
Despertou-me um dia
E, sem nada prometer
Mostrou-me como seria
Pelo vidro da janela
Viver

E vi muitas coisas e muitos segredos
Como os profetas e santos dos Testamentos
E vi os astros, as estrelas e o universo
E vi os animais e as luzes que dançavam
E as pessoas que cantavam
E vi que tudo era movimento
Menos eu, na escuridão
Antes daquele momento
Mas a vela tem de acabar
O Sol tem de se pôr
E tudo ficou escuro
De novo
E de novo adormeci
Sonhando com tudo aquilo
Que vi
Se a chama não voltar
Sei o nome dela
E rezo para sonhar
Pelo menos
Com ela

Nenhum comentário:

Postar um comentário