Visitas

Rasgo a seda
Que te veste
Porque é a carne
O que me seda

Rasgo a carne
Que te cobre
Porque é a alma
Que me encarna

Rasgo a alma
Em meio aos trapos
Fibras e fiapos
Que sobraram

Rasgo o ar
Em queda livra
Da janela
Do último andar

À minha espera
A Fera
A bela
Não me esperou


Nenhum comentário:

Postar um comentário