Visitas

Tua frieza brutal
Te guardou de cada verso
Meu, arterial
Te protegeu dos estilhaços
De rimas nascidas
Do mais abissal
Arrependimento

Tua arrogância desprezível
Ou vice-verso
Poupou-te do fel e da vingança
Que só um coração ferido
Tem permissão de destilar

E toda essa fortaleza
Que te cobre de impunidade
Não te impediu de te cortares
Me contaram
Na folha de papel
Na qual meus restos
Te enderecei

Bem feito!

Nenhum comentário:

Postar um comentário