Visitas

De todos os saques
- cruéis ataques -
Da vida bandoleira
Que assalta na estrada
- já sem rumo, picada -
O pior foi o furto
Do nome e do rosto
- para sempre nunca mais -
Do meu primeiro amor
De que restou apenas
A lembrança do sentimento
Um fantasma a que se se acostuma
Uma bruma

Melhor fosse não ter amado
Nem pela primeira
Quanto mais pela última
- Vês? -
O amor é uma armadilha
Maldição de deuses - cães
Que se alimentam
- e se divertem -
Com nossos retalhos
E corações
Escorrendo pelos lábios

Um amor não correspondido...
Um há de perfurar-lhes
A garganta
Na santa paz
De uma vingança...

Nenhum comentário:

Postar um comentário